Imóveis na Vila Leopoldina diminuem para atender de solteiros a casais

Alto de Pinheiros ganha predinhos com boa arquitetura e tecnologia
27/04/2017
Campeão em altura, bairro de Perdizes oferece vista para serra da Cantareira
27/04/2017

Imóveis na Vila Leopoldina diminuem para atender de solteiros a casais

Em recente matéria publicada no Jornal Folha de São Paulo, a Geoimovel (maior provedor de pesquisa imobiliária do Brasil e empresa pertencente a Amaral d´Avila Engenharia de Avaliações), forneceu informações sobre os bairros de Perdizes e Vila Leopoldina, para especial imobiliário.

A reportagem possuía o seguinte título: “Imóveis na Vila Leopoldina diminuem para atender de solteiros a casais.”.

A Vila Leopoldina, que ganhou fama de bairro “tamanho-família” graças a imóveis de três e quatro quartos, começa a atrair jovens casais e solteiros em busca do primeiro imóvel numa região bem localizada, com fácil acesso às marginais Pinheiros e Tietê, e bem servida de restaurantes, bares e comércio.

De olho nesse público, as incorporadoras começam a investir em apartamentos menores no bairro. De acordo com levantamento da Brasil Brokers, houve uma redução de 52% na área privativa de unidades lançadas, na comparação dos períodos de 2.007 a 2.011 e 2.012 a 2.016.

Ao lado do Butantã, a Vila Leopoldina liderou os lançamentos de dois dormitórios na Zona Oeste entre Janeiro de 2.014 e Fevereiro de 2.017, segundo pesquisa da Geoimovel. Das 737 unidades construídas no período, 61% são de dois quartos.

Imagem_ImóveisnaVilaLeopoldinaDiminuem

Só no empreendimento Viva Benx Vila Leopoldina, localizado na Avenida Hassib Mofarrej com a Rua Bruno Bauer, são 250 apartamentos de 35 m2 de área privativa e dois quartos, além de área de lazer com piscina, salão de festas, quadra, academia, brinquedoteca e área de convivência na cobertura.

Lançado em Outubro de 2.016 com valores a partir de R$ 198 mil, tem 85% das unidades vendidas. “Nosso público são solteiros e casais que têm ou pretendem ter um filho.”, diz Luciano Amaral da Benx Incorporadora.

A bancária Jéssica da Cunha Santos, 34, moradora do Jaçanã (Zona Norte), procurava um local para viver sozinha e que permitisse reduzir as quase duas horas de trânsito até o trabalho. “Um imóvel pequeno no bairro foi um achado. Além de ser próximo do parque, não levarei 20 minutos até o banco.”.

Moradora de Pinheiros, a publicitária Joana Lima, 30, está em busca do primeiro apartamento para viver com o namorado. “A Vila Leopoldina é perto de tudo quer eu frequento e com um valor que é possível pagar.”, afirma.

Segundo a Geoimovel, o metro quadrado das unidades em estoque no bairro custa em média R$ 12.341- os valores em Perdizes e Sumaré, são respectivamente, R$ 12.500 e R$ 12.800. “A Vila Leopoldina se consolidou, hoje é autônoma e se valorizou.”, diz José Roberto Federighi, diretor- geral da Brasil Brokers em São Paulo. O metro quadrado da região subiu 174% entre os períodos de 2.007- 2.011 a 2.012- 2.016.

Com apartamentos de 65 m2, o condomínio Up Side, lançado em 2.012 e voltado à classe média alta, fica num terreno de 2.800 m2 e poderia receber unidades maiores, mas pesquisa de mercado apontou a carência de imóveis compactos.

“Percebemos que não havia oportunidades para os casais jovens ou para aqueles cujos filhos saíram de casa.”, diz Adriana Falleiros, diretora da Vivenda Lare.

A incorporadora Even também se prepara para lançar empreendimentos de dois, três e quatro dormitórios (de 70 m2 a 140 m2) em três terrenos nas proximidades da Avenida Mofarrej.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/morar/2017/04/1873744-imoveis-na-vila-leopoldina-diminuem-para-atender-de-solteiros-a-casais.shtml

Translate »
Cancelar